#QuickTips – Atribuindo um IP Fixo a uma Máquina Virtual existente do Microsoft Azure

microsoft-azure-logo

Olá pessoal!

Seguindo a série de dicas rápidas, esses dias eu tive a necessidade de atribuir um IP Dedicado (conhecido também como “IP Fixo”) a uma máquina virtual existente no Microsoft Azure. Ao atribuir um IP Dedicado à uma máquina virtual, ele não será distribuído à nenhuma outra Máquina Virtual.

1. Primeiramente nós devemos fazer a instalação do Azure Powershell que pode ser feito o download aqui.

2. Após a instalação do Azure Powershell, execute-o como administrador e digite “Add-AzureAccount” para se conectar a sua conta do Azure:ScreenShot001

3. Insira suas credenciais:

ScreenShot002

4. Após a conexão com a sua conta do Azure, podemos testar se um IP especifico está disponível para ser atribuído à uma Máquina Virtual com o seguinte comando:

TestAzureStaticVNetIP VNetName NomedaVNet IPAddress 10.23.21.5 ScreenShot003

Aonde:

-VNetName: Nome da Rede Virtual (Virtual Network)

-IpAddress: IP que deseja consultar

Caso o IP esteja livre, o parâmetro “IsAvailable” deve ser “True

ScreenShot004

Agora que já verificamos que o IP está disponível para utilização, podemos prosseguir.

5. Para que possamos fixar este IP a uma máquina virtual, devemos executar o seguinte comando:

GetAzureVM ServiceName CloudServiceName Name NomedaVM | Set-AzureStaticVNetIP -IPAddress 10.10.0.7 | UpdateAzureVM

ScreenShot006

Aonde:

-ServiceName: Nome da Cloud Service que a VM se encontra

-Name: Nome da Máquina Virtual

-IPAddress: IP que deseja fixar nessa máquina virtual

Após a execução do comando, a máquina virtual será reiniciada caso esteja ligada por conta do comando “Update-AzureVM” que executamos acima.

6. Após executar o comando de verificação novamente, o parâmetro “IsAvailable” está com o valor “False“, indicando que o IP não está disponível pois foi atribuído a outra máquina virtual. Repare que o Azure nos da opções de IPs disponíveis:

ScreenShot007

Espero que seja útil, muito obrigado!

Julio Araujo

Conhece o Windows Azure Pack?

Provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre o Microsoft Azure (Antigo “Windows Azure”), correto? Para que possamos entender melhor sobre Windows Azure Pack, vamos primeiro conhecer um pouco sobre o Microsoft Azure e seus serviços.

O Microsoft Azure é uma plataforma de serviços de computação em nuvem hospedados em datacenters da Microsoft que oferece diversos recursos como: Máquinas Virtuais, Banco de Dados, Web Sites, Visual Studio Online entre outros.

Azure Services

Para conhecer mais sobre os serviços do Microsoft Azure, acesse: http://msdn.microsoft.com/en-us/library/azure/dd163896.aspx

Mas o que é Windows Azure Pack?

O Windows Azure Pack é um conjunto de tecnologias do Microsoft Azure, disponível gratuitamente para clientes da Microsoft e executando em seu datacenter. O WAP (ou Windows Azure Pack) é executado sobre o Windows Server 2012 R2 e o System Center 2012 R2 permitindo que sua empresa entregue um serviço de nuvem sofisticado, com autoatendimento, vários locatários e oferecendo uma experiência similar ao Microsoft Azure.

O Windows Azure Pack nos oferece os seguintes recursos:

  • Management Portal for Tenants: Um self-service customizavel para provisionamento, monitoração e gerenciamento de serviços como Web Sites, Virtual Machine Clouds e Service Bus.
  • Management Portal for Administrator: Um portal para que administradores configurem e gerenciem recursos de Cloud, contas de usuário, oferta de tenants, quotas e preços.
  • Service Management API: Uma API REST que nos habilita a uma gama de cenários de integração, incluindo sistemas de faturamento para clientes, etc.
  • Web Site Clouds: Serviço que prove uma plataforma de Web Hosting para ASP.NET, PHP e Node.Js para aplicações web de alta densidade e dimensionável. O serviço inclui uma galeria personalizável de aplicações web.
  • Virtual Machines: Serviço que oferece uma Infraestrutura como Serviço (IAAS) de máquinas virtuais e inclui uma galeria personalizável de modelos de máquinas virtuais com diferentes Sistemas Operacionais, opções de dimensionamento e rede virtual.

 

  • Service Bus: Um serviço que fornece uma “troca de mensagens” confiáveis entre aplicativos distribuídos.

 
Continuar lendo

Conhecendo o Azure Active Directory Premium

A primeira vez que você se inscreve em um serviço de nuvem da Microsoft tal como o Windows Azure, o Microsoft Office 365 ou Windows Intune, você é solicitado a fornecer detalhes sobre a sua organização e o registro do nome do domínio de Internet da sua organização. Essas informações são usadas para criar um novo serviço de diretório do Windows Azure. Esse diretório pode ser sincronizado com seu Active Directory On-Premises através do DirSync (Ferramenta de sincronismo de Diretório) e fornecer um login único que é chamado de Single Sign-On através do AD FS (Serviço de Federação do Active Directory).

No Windows Azure temos duas opções para criação do Active Directory:

  • Azure Active Directory Gratuito – Com a edição gratuita do Azure AD, você pode gerenciar contas do usuário, sincronizar com diretórios locais, obter logon único no Azure, Office 365 e milhares de aplicativos SaaS populares, como Salesforce, Workday, Concur, DocuSign, Google Apps, Box, ServiceNow, Dropbox e muito mais.
  • Azure Active Directory Premium – Com a edição Premium do Azure AD, você obtém todos os recursos que a edição Gratuita pode oferecer, mais um conjunto completo de recursos de gerenciamento de identidade em nível empresarial.

Recursos e Vantagens do Azure Active Directory Premium

Além dos recursos disponíveis na versão gratuita o Windows Azure Active Directory Premium disponibiliza as seguintes funcionalidades

  • Identidade Visual da Empresa: você pode alterar o logo e esquema de cores do Portal de Login de Acesso.
  • Acesso de Aplicativos Baseados em Grupos: utilizar grupos de usuários para gerenciar permissões a aplicativos SaaS.
  • Portal de Autoatendimento para reset de senha: possibilita que os usuários em seu diretório possam redefinir sua senha usando o mesmo logon através de um Portal de Autoatendimento.
  • Portal de Autoatendimento para Grupo de gerenciamento: possibilita que os usuários criem grupos, solicitem acesso a outros grupos, deleguem propriedade de grupos de forma que outras pessoas possam aprovar solicitações e manter as associações de seus grupos.
  • Microsoft Forefront Identity Manager: A edição Premium é fornecida com a opção de conceder direitos de uso de um servidor FIM (e CALs) em sua rede local para suporte de qualquer combinação de soluções de identidade híbridas.
  • Multi-Fator de Autenticação.
  • Alertas e Relatórios de Segurança Avançados.
  • SLA de 99,9%.

Continuar lendo

Diferença entre Clientes Obsoletos e Clientes Inativos no SCCM 2007/2012

Uma dúvida frequente que encontro em alguns clientes é: “Qual é a diferença entre Clientes Inativos e Clientes Obsoletos?”. Hoje vamos entender a diferença neste post rápido mas que nos ajuda bastante.

Clientes Obsoletos

Clientes Obsoleto, são clientes que foram substituídos por novos mas continuam com o mesmo Hardware ID (mas com SMS GUID diferente). Isso pode ocorrer em uma troca de sistema operacional, aonde você continua utilizando o mesmo Hardware (que possui um Hardware ID único) mas instalou um novo cliente com um novo SMS GUID. A partir deste momento, o SCCM “Identifica” que existe um novo registro para esse computador e torna o antigo “Obsoleto”. As seguintes razões podem tornar um cliente obsoleto:

  • Renomeação de máquina;
  • Re-instalação de S.O;
  • Troca de Disco Rígido.

 

Clientes Inativos

Clientes Inativos, são clientes que não foram descobertos pelo método de descoberta de HeartBeat em um período definido nas configurações de “Tarefa de exclusão de clientes inativos”. Algumas das razões que podem tornar o status de um cliente como “Inativo”:

  • Máquina Offline;
  • Problemas de resolução de DNS entre cliente e servidor SCCM.

Desligando e Ligando Máquinas Virtuais no Azure Automaticamente com Orchestrator

Quando falamos de licenciamento e valores de máquinas virtuais no Windows Azure devemos considerar 3 pilares:

  • Tempo (Quantidade de Horas que a máquina virtual ficará ligada no mês).
  • Armazenamento (Espaço em disco que a máquina virtual vai consumir).
  • Tráfego (Quantidade de informação que sai do Windows Azure).

Pensando nisso muitas empresas podem desligar máquinas virtuais a noite e ligarem pela manhã, ou desligarem apenas no final de semana, isso pode ser feito manualmente ou automaticamente usando o System Center Orchestrator 2012 R2, nesse post irei demonstrar como realizar esse processo.

Os passos são:

  1. Configurar um Certificado Digital no Windows Azure.
  2. Conectar o System Center Orchestrator no Windows Azure.
  3. Criar Agendamentos no Orchestrator.
  4. Criar Runbook para desligar máquina virtual.
  5. Criar Runbook para ligar máquina virtual.

Configurar um Certificado Digital no Windows Azure

Nesse processo iremos criar um certificado digital auto-assinado no Orchestrator e importa-lo no Windows Azure.

Continuar lendo

Ferramenta para cálculo de migração (IaaS) para Windows Azure

Microsoft Azure (IaaS) Cost Estimator Tool

Essa ferramenta ajuda o profissional de TI calcular o custo de migração de uma máquina Virtual ou Física do seu ambiente de Produção para o Windows Azure, gerando um custo mensal para armazenamento da sua máquina virtual.

O Microsoft Azure (Iaas) Cost Estimator Tool suporta:

  • Tecnologias de virtualização e gerenciamento Microsoft – Hyper-V e System Center Virtual Machine Manager.
  • Tecnlogias de virtualização VMWARE – vCenter e ESXI.
  • Ambientes Fisicos – Windwos e Linux.

Você fazer  o Download aqui.

Demonstração.

Após executar a instalação você poderá conectar no seu ambiente Virtual (SCVM, Hyper-v ou VMWARE) ou no seu ambiente Físico. Nessa demonstração irie utilizar o Hyper-V.

01
Continuar lendo